Na semana passada, o Facebook anunciou a proibição de todos os anúncios sobre bitcoin, ofertas de moedas iniciais (ICOs) e outras criptomoedas.

O Facebook (juntamente com o Google) controla virtualmente a publicidade na Internet. Portanto, suas políticas têm uma enorme influência sobre o comportamento do consumidor e da economia como um todo.

Proibição de ICOs

Proibir as propagandas da ICO em sua plataforma, por exemplo, certamente terá um impacto negativo na quantidade de dinheiro que flui para novas ICOs, e essa ação se assemelha ao impacto des políticas monetárias feitas por bancos centrais.

O Facebook disse que instituiu essa proibição para “proteger seus usuários” de fraudes financeiras no setor de criptomoedas, semelhantemente como os bancos centrais ao redor do mundo estão fazendo. Pelo menos, esse é o motivo “oficial”.

E, sejamos francos: há uma quantidade ridícula de fraudes – são incontáveis ​​fraudes de ICOs e moedas assustadoramente estúpidas que são fáceis de se identificar.

Mas também é possível que o principal CEO do Facebook neste movimento vá além do desejo de proteger o bem-estar de seus quase 2 bilhões de usuários.

Facebook, Blockchain e Notícias Falsas

Foi há apenas um mês que Mark Zuckerberg disse que o Facebook estudaria criptomoedas e o blockchain para “ver como melhor usá-los em nossos serviços”.

E um dos palestrantes na conferência de criptomoedas que um dos membros da equipe do site sovereignman.com participaram na cidade de Nova York, confirmaram ontem que o Facebook está investindo uma tonelada de capital em blockchain agora.

Parece razoável que a decisão do Facebook de proibir propagandas de criptomoedas possa ser enraizada na eliminação de sua própria concorrência, ou seja, o Facebook pode estar trabalhando em seu próprio projeto criação de uma criptomoeda para implantar em sua própria plataforma.

Uma possibilidade é que o Facebook poderia adotar um modelo similar ao Steemit – uma rede social descentralizada que opera na blockchain e que paga seus usuários por visualização.

No caso do Steemit, cabe aos usuários do policiar o site para o mesmo não ter uma autoridade central. A plataforma recompensa seus usuários pelo bom conteúdo com pequenas quantidades de criptomoedas e penaliza usuários por spam e “notícias falsas”.

Isso resolveria um enorme problema para o Facebook, que já foi atacado por governos em todo o mundo por não fazer o suficiente para moderar o conteúdo do usuário, incluindo “notícias falsas”, “discurso de ódio”, etc.

O Facebook já contratou um exército de moderadores de conteúdo, mas dificilmente conseguiu trazer uma solução definitiva.

Então, adotar um modelo como o Steemit, que recompensa os usuários com criptomoedas por um review de conteúdo, certamente poderia fazer algum sentido.

Blockchain aplicado aos jogos da plataforma

Remuneração para beneficiar quem denuncia notícias falsas também não seria a primeira das incursões da empresa na área.

Quando os jogos sociais como Farmville eram populares (talvez eles ainda sejam, quem sabe), os jogadores poderiam pagar por bens eletrônicos com uma moeda no jogo. Então, o Facebook criou sua própria moeda para as pessoas trocarem pelos créditos do Farmville para colocarem como créditos de horas jogadas em outros jogos.

A criação de um token do Facebook completamente feito em blockchain, é o próximo passo lógico que vai ser dado pela empresa. Esse é um mercado bilionário.

Dado o domínio mundial do Facebook, seus tokens teriam o potencial de se tornarem extremamente populares, e praticamente da noite para o dia serem usados ​​em transações cotidianas no mundo virtual e real.

A grande esperança do Bitcoin é que ele até pode um dia perturbar as moedas fiat convencionais. Talvez assim. Mas o Bitcoin ainda possui uma curva de adoção íngreme antes de se tornar verdadeiramente perturbador ao sistema financeiro de bancos centrais. O Facebook pode fazer isso em um estalar de dedos.

Os tokens do Facebook, por outro lado, seriam adotados por centenas de milhões de pessoas desde o início, causando um boom de valorização nunca visto na história e uma curva de adoção inimaginável.

Você poderia comprar e vender produtos em Tokens do Facebook, enviar dinheiro e remessas, pagar empregados contratados no exterior e se envolver em todo tipo de transações transfronteiriças.

Isso faria essencialmente Mark Zuckerberg o mais novo banqueiro central do mundo… A única pessoa com controle sobre a primeira moeda digital verdadeiramente global, já que o lema dele é fazer o mundo mais aberto e conectado, como ele mostra nesse vídeo:

O questionamento que fica é se essa moeda vai ser substancialmente livre e descentralizada, ou se vai ser uma espécie de moeda que centralizará tudo na mão de poderosos: uma moeda que não tem limite de emissão e pode ser manipulada pelos developers.

Dado que Mark Zuckerberg já controla a fonte de mídia número #1 do mundo e tem influência substancial sobre o comportamento das massas, o lançamento de um token do Facebook solidificaria sua posição como a pessoa mais poderosa do planeta.

Curta a nossa página no Facebook: https://facebook.com/bitprofitbtc

Gostou do nosso conteúdo? Deixe o seu comentário abaixo!


Você gostou deste conteúdo?

Recomende ele para que mais pessoas o leiam!
Ajude o nosso site cedendo um pouco de poder de processamento!


Loading...

Faça uma doação via bitcoin:

bitcoin-image Conheça o Próximo Banqueiro Central do Mundo: Mark Zuckerberg
bitcoin-image Conheça o Próximo Banqueiro Central do Mundo: Mark Zuckerberg

Por favor, doe para o endereço Bitcoin: [[address]]

Donation of [[value]] BTC Received. Thank You.
[[error]]


Ou via Nano:

bitcoin-image Conheça o Próximo Banqueiro Central do Mundo: Mark Zuckerberg
bitcoin-image Conheça o Próximo Banqueiro Central do Mundo: Mark Zuckerberg

Por favor, doe para o endereço Raiblocks: [[address]]

bitcoin-image Conheça o Próximo Banqueiro Central do Mundo: Mark Zuckerberg
Donation of [[value]] BTC Received. Thank You.
[[error]]


Aproveite também para nos seguir nas redes sociais:


Nos siga no Twitter | Facebook